sexta-feira, 6 de maio de 2016

Esta é a hora da perfeição Divina. Os esmerados trabalhos de amor e da sabedoria Divina aparecerão hoje!


Catherine Ponder em seu livro, Leis Dinâmicas da Prosperidade
 

Hora de plantar suas sementes, cuidar do seu jardim e perguntar à você mesmo:
- este caminho faz vibrar o meu coração? 
- estou sendo uma pessoa justa e verdadeira com as pessoas ao meu redor e comigo?


"Quanto mais rígida a postura, mais difícil será a jornada. 
Algumas pessoas custam a abrir os olhos.
Não importam os fatos ou as consequências. 

Não importa nem o sofrimento envolvido. 
Cada um só ouve o quer ouvir, só vê o que quer ver e enquanto isso o caos vai aumentando.
Sem dúvida, respeitar o ponto de vista e o tempo do outro representa uma maravilhosa libertação."


Carlos Humberto Soares Junior

quarta-feira, 4 de maio de 2016

Animais de estimação podem visitar seus tutores doentes neste hospital

 

O hospital Juravinski, em Ontário, no Canadá, iniciou um programa que permite que os animais de estimação dos pacientes visitem seus tutores doentes, para ajudar na sua recuperação.


Divulgação
Mascotes podem visitar pacientes internados


O Zachary’s Paws for Healing foi criado por Donnna Jenkins, inspirada no sobrinho Zachary, 25 anos, que se beneficiou da presença do seu cachorro no hospital na luta contra um linfoma.

“Zachary esteve muitas semanas no hospital, muito doente após o transplante de células-tronco, e só pedia para ver o seu cachorro Chase”, disse Jenkins ao site bored panda.

As visitas acontecem semanalmente e duram 1 hora. O hospital toma o cuidado de dar banho nos animais e de mantê-los longe dos outros pacientes.
mascotas-visita-pacientes-enfermos-hospital-juravinski-canada-6
mascotas-visita-pacientes-enfermos-hospital-juravinski-canada-4

 

 

Vídeo : "Todo mundo morre, mas, nem todo mundo vive"!!



terça-feira, 3 de maio de 2016

Somos condutores de energia. Se desejamos o bem, o bem vem. Se espalharmos amor, o amor fica. Se sorrimos, sorrisos recebemos. Pode demorar. Pode não ser sempre. Mas se tem uma coisa que a vida faz é ser grata, desde que sejamos com ela. Se tem uma coisa que o Universo faz é ser justo, desde que sejamos com nosso próximo. As coisas acontecem. A bondade existe. O amor vence. E toda positividade precisa circular. Espalhe.

Ana Nunes.


Creche municipal tem ioga e massagem para crianças na zona norte de SP

Ao som de mantras, a professora fecha as cortinas e reduz a iluminação dentro da sala. No chão, eles relaxam em colchonetes dispostos um ao lado do outro. Poderia ser uma aula de ioga em qualquer estúdio especializado, mas os alunos têm cerca de 3 anos e a prática acontece em uma creche conveniada à rede municipal de ensino de São Paulo.
Turma de alunos do CEI (Centro de Educação Infantil) Lar de Crianças Ananda Marga durante a aula de ioga, que acontece uma vez por semana. A prática faz parte de uma série de atividades que buscam desenvolver aspectos físicos e emocionais. A creche fica no Jardim Peri, zona norte de São Paulo, e atende 111 crianças de zero a 3 anos Imagem: Leonardo Soares/UOL
O CEI (Centro de Educação Infantil) Lar de Crianças Ananda Marga, administrado pela ONG Amurt-Amurtel, está localizada no Jardim Peri, zona norte de SP, em uma área cercada por favelas. "Vemos muitos casos de violência doméstica e de pais que estão presos, então a creche precisa ser um espaço de acolhimento para essas crianças", afirma a diretora Silvia Helena de Oliveira.
Para se adaptar aos pequenos iogues, as duas professoras contam histórias para ensinar as posturas para a turma de oito alunos.  A aula começa com um "passeio na nuvem", em seguida, o grupo faz a saudação ao sol (uma das sequencias mais conhecidas da ioga), passa para uma série de posturas e, então, fecha os olhos para o relaxamento.
Em uma das últimas etapas da aula, as crianças fazem massagens no rosto, nos braços e nos pés dos colegas. A prática, realizada uma vez por semana em cada turma, é utilizada para desenvolver a parte física e emocional dos alunos.
"O objetivo é estimular a criatividade, a autoestima, o desenvolvimento do caráter dessas crianças", explica Didi Ananda Jaya, coordenadora de projetos da Amurt-Amurtel em São Paulo. A ONG adota a filosofia neo-humanista, que, segundo a instituição, busca a transformação do indivíduo em um ser mais saudável, solidário, ativo, compassivo e consciente do seu papel na sociedade.

A hora do toque

Enquanto os mais velhos praticam ioga, o berçário é preparado para a shantala, uma massagem indiana para bebês. A iluminação é reduzida e as professoras ficam em silêncio: a aula será apenas pelo toque, e a sala é invadida pelo cheiro do óleo de essência lavanda.
O bebê deita sobre as pernas da professora, que tira a sua roupa e começa a massagem. No início agitado, ele vai aos poucos relaxando e sente o toque nos braços, em cada um dos dedos das mãos, nas pernas, nos pés, nas costas... E então começa a dormir.
Todas as crianças do berçário recebem a massagem uma vez por semana. A ideia, dizem os professores, é fazer com que se sintam acolhidos na sala de aula e tenham um momento de carinho no ambiente em que ficam durante boa parte do dia. A técnica também é ensinada para as mães.
"Até os 3 anos, eles estão começando a viver a sua personalidade, as relações interpessoais, as relações familiares, então é importante que encontrem acolhimento no ambiente escolar para brincar, cantar, correr, pular e para todos os tipos de expressão", afirma a professora e pesquisadora da Faculdade de Educação da USP, Maria Letícia Nascimento.

Boas-vindas

No início de cada aula, eles se reúnem para o "círculo do amor", um momento "zen" de boas-vindas antes do café da manhã. Eles cantam, batem palmas, fazem saudações ao sol, à natureza e agradecem pela presença dos colegas. Nas paredes da sala, estão desenhos, fotos e atividades sobre família, a casa e o bairro em que os alunos moram.
A unidade atende 111 crianças com até 3 anos e 11 meses, que ficam na creche em período integral. São, em média, 45 vagas abertas por ano na unidade e é a prefeitura quem faz distribuição delas.
"O ideal seria que em todas as creches as crianças tivessem a oportunidade de se expressar, de falar da família, da sua casa e do que fez no final de semana", diz a professora da USP, que é especialista em educação infantil.
Além das práticas, a alimentação no CEI Ananda Marga é vegetariana, repleta de frutas e verduras, e feita sob a orientação de um nutricionista da ONG e outro profissional da Prefeitura de São Paulo.
Outras três creches administradas pela ONG pertencem à rede municipal de ensino e adotam a mesma linha pedagógica. Elas funcionam na zona norte e na zona sul de São Paulo.
Em abril deste ano, cerca de 110 mil crianças esperavam por uma vaga em creches da cidade.

Posto de gasolina em Porto Alegre/RS, acolhe animais de rua durante o frio


(Cinthia Cramer)
(Cinthia Cramer)

O frio chegou de vez em boa parte do país. Assim como os moradores de rua, animais abandonados e bichinhos desaparecidos também sofrem bastante com os dias gelados. Eles costumam procurar abrigo em comércios e casas, mas nem sempre são bem recebidos. Em Porto Alegre, no Rio Grande do Sul, um posto de gasolina conquistou moradores da região ao acolher os cães que precisavam de ajuda.
Funcionários improvisaram bacias e cobertores para receber os hóspedes durante o inverno, e ainda oferecem água e ração. A comerciante Cinthia Cramer flagrou a boa ação ao abastecer o carro no local. “Fiquei olhando admirada, mas só tinha visto um cão. Resolvi descer para ver de perto. Foi quando me deparei com os outros todos acomodados em suas devidas bacias. Achei o máximo. Me emocionei com a criatividade e fotografei. Eles nem me deram bola, continuaram no aconchego. São uns queridos”, contou.

caes posto 2_site
Se Deus tivesse dito:

Para de ficar rezando e batendo no peito! O que Eu quero que faças é que saias pelo mundo e desfrutes de tua vida. Eu quero que gozes, cantes, te divirtas e que desfrutes de tudo o que Eu fiz para ti. Para de ir a esses templos lúgubres, obscuros e frios que tu mesmo construíste e que acreditas ser a minha casa. Minha casa está nas montanhas, nos bosques, nos rios, nos lagos, nas praias. Aí é onde Eu vivo e aí expresso meu amor por ti. Para de me culpar da tua vida miserável. Eu nunca te disse que há algo mau em ti ou que eras um pecador, ou que tua sexualidade fosse algo mau. O sexo é um presente que Eu te dei e com o qual podes expressar teu amor, teu êxtase, tua alegria.
Assim, não me culpes por tudo o que te fizeram crer.
Para de ficar lendo supostas escrituras sagradas que nada têm a ver comigo. Se não podes me ler num amanhecer, numa paisagem, no olhar de teus amigos, nos olhos de teu filhinho... Não me encontrarás em nenhum livro!
Confia em mim e deixa de me pedir.
Tu vais me dizer como fazer meu trabalho?
Para de ter tanto medo de mim. Eu não te julgo, nem te critico, nem me irrito, nem te incomodo, nem te castigo. Eu sou puro amor. Para de me pedir perdão. Não há nada a perdoar.
Se Eu te fiz... Eu te enchi de paixões, de limitações, de prazeres, de sentimentos, de necessidades, de incoerências, de livre-arbítrio.
Como posso te culpar se respondes a algo que eu pus em ti?
Como posso te castigar por seres como és, se Eu sou quem te fez?
Crês que eu poderia criar um lugar para queimar a todos meus filhos que não se comportem bem, pelo resto da eternidade?
Que tipo de Deus pode fazer isso?
Esquece qualquer tipo de mandamento, qualquer tipo de lei; essas são artimanhas para te manipular, para te controlar, que só geram culpa em ti. Respeita teu próximo e não faças o que não queiras para ti.
A única coisa que te peço é que prestes atenção a tua vida, que teu estado de alerta seja teu guia. Esta vida não é uma prova, nem um degrau, nem um passo no caminho, nem um ensaio, nem um prelúdio para o paraíso. Esta vida é o único que há aqui e agora, e o único que precisas.

Eu te fiz absolutamente livre.
Não há prêmios nem castigos.
Não há pecados nem virtudes.
Ninguém leva um placar.
Ninguém leva um registro.

Tu és absolutamente livre para fazer da tua vida um céu ou um inferno.
Não te poderia dizer se há algo depois desta vida, mas posso te dar um conselho. Vive como se não o houvesse. Como se esta fosse tua única oportunidade de aproveitar, de amar, de existir. Assim, se não há nada, terás aproveitado da oportunidade que te dei. E se houver, tem certeza que Eu não vou te perguntar se foste comportado ou não. Eu vou te perguntar se tu gostaste, se te divertiste. Do que mais gostaste? O que aprendeste?
Para de crer em mim, crer é supor, adivinhar, imaginar. Eu não quero que acredites em mim. Quero que me sintas em ti. Quero que me sintas em ti quando beijas tua amada, quando agasalhas tua filhinha, quando acaricias teu cachorro, quando tomas banho no mar.
Para de me louvar!
Que tipo de Deus ególatra tu acreditas que Eu seja?
Aborrece-me que me louvem.
Cansa-me que agradeçam.
Tu te sentes grato?
Demonstra-o cuidando de ti, de tua saúde, de tuas relações, do mundo.
Tu te sentes olhado, surpreendido?
Expressa tua alegria! Esse é o jeito de me louvar. Para de complicar as coisas e de repetir como papagaio o que te ensinaram sobre mim. A única certeza é que tu estás aqui, que estás vivo, e que este mundo está cheio de maravilhas.
Para que precisas de mais milagres?
Para que tantas explicações?
Não me procures fora! Não me acharás.
Procura-me dentro, aí é que estou, batendo em ti.

BARUCH SPINOZA (1632 – 1677)
"Se quer saber, nunca é tarde demais, ou no caso, cedo demais. Seja quem você quiser, não há limite de tempo. Você pode mudar ou ficar como está, não há regras para esse tipo de coisas. 
Podemos encarar a vida de forma positiva ou negativa. Espero que veja coisas que surpreendam você, espero que sinta coisas que nunca sentiu antes, espero que conheça pessoas com ponto de vista diferentes, espero que tenha uma vida da qual você se orgulhe... 
E se você descobrir que não tem, espero que tenha forças pra conseguir começar novamente!!!" 


(Do filme "O curioso caso de Benjamim Button")

sábado, 30 de abril de 2016

O CACHORRO E A ESPIRITUALIDADE


Quando se pergunta, quem é o melhor amigo do homem?
Logo se responde: “o cachorro”.
Pois é, analisando energeticamente o cachorro, chegamos à seguinte conclusão:
O cachorro busca sempre em um ambiente os locais de maior concentração de energia positiva. Inclusive, na Radiestesia, dizem que a melhor maneira de descobrir o melhor local para se colocar a cama é deixando que um cão passe a noite no quarto vazio; o lugar escolhido por ele, o seu repouso, sempre é a melhor indicação.
Em toda ocasião é sempre bom estar atento ao cão, em toda sua forma de agir, desde a mais óbvia até a inexplicável. Se ele late para as paredes e lugares vazios, é hora de providenciar uma limpeza energética para o ambiente.
Quando ele se achega a um desconhecido ou se comporta de forma repulsiva também é algo digno de observar e providenciar a limpeza.
Acariciar um cachorro é como se descarregássemos nossa energia em um ímã. O cão é considerado o melhor amigo do homem por ter a alma bela, não guarda rancor de seu dono, afinal ele é fiel até a morte.
Mesmo que aconteça de você brigar com seu cachorro, chutar ou até mesmo prendê-lo como castigo, ao se aproximar dele, a sua fidelidade faz com que ele demonstre o amor incondicional, pois você o conquistou uma vez e será para sempre.
Além do convívio e da alegria, esse animal nos presta o favor da limpeza, nada nesta terra está desprovido de propósito do Divino.

Texto de Márcia Fernandes

Se todas as crianças de oito anos aprenderem meditação, nós eliminaremos a violência do mundo dentro de uma geração.



Dalai Lama
18 dores no corpo que estão diretamente ligadas ao seu estado emocional

A dor é um dos sentimentos mais comuns em nosso corpo. A dor tem três manifestações: a energia, a percepção e a manifestação física. Cada tipo de dor pode estar relacionada a um estado emocional específico em nossa mente. Isso nos mostra que apesar de sermos adultos ainda precisamos aprender muito mais lições de vida, a fim de aprender a evitar a dor. Uma vez que a lição está firmemente incorporada em nossas vidas, compreendida e aprendida de uma forma que pode ser transferida para outras pessoas, a dor simplesmente desaparece.

O corpo é especialmente claro quando se trata de dor. As experiências de sua vida se manifestam diretamente no seu corpo e quando você experimenta o estresse emocional, seu corpo mostra exatamente qual é o problema. A única coisa que você precisa fazer é decodificá-lo.

A dor muscular representa uma dificuldade de se mover em nossas vidas. Você está sendo flexível com as experiências no trabalho, em casa ou dentro de você mesmo? Vá com a maré ..

A dor na cabeça (dores de cabeça) limita sua tomada de decisão. A enxaqueca ocorre quando sabemos que temos que tomar uma decisão mas não o fazemos. Certifique-se de ter tempo cada dia para relaxar. Faça algo para aliviar a tensão.

Dor no pescoço indica que você pode estar tendo problemas em perdoar os outros, ou de perdoar você mesmo. Se você estiver sentindo dor no pescoço, considere as coisas que você ama sobre si mesmo e nos outros. Trabalhe conscientemente o ato de perdoar verdadeiramente.

Dor na gengiva está relacionada com decisões que você não toma ou está evitando tomar. Seja claro em seus objetivos e vá atrás deles!

Dor no ombro pode indicar que você está carregando um fardo emocional grande. Concentre-se em resolver os problemas de forma proativa ou encontre pessoas que possam te ajudar a lidar com esses problemas.

A dor estomacal ocorre quando você não digere, figurativamente, algo negativo. Aquela sensação de não ser respeitado, provoca uma sensação no estômago, um vazio, uma tristeza.

Dor na parte superior das costas indica que lhe falta apoio emocional. Você pode não estar se sentindo amado. Se você está solteiro, talvez seja hora de encontrar alguém.

A dor na região lombar pode significar que você está se preocupando muito com dinheiro ou você está carente de apoio emocional. Pode ser um bom momento para pedir um aumento ou considerar pedir apoio a um planejador financeiro, para ajudá-lo a utilizar o dinheiro um pouco melhor.

Dor no osso sacro significa que você pode estar sentado sobre uma questão que precisa ser tratada. Reflita profundamente sobre essa questão e você irá encontrar a solução.

Dor no cotovelo tem muito a ver com a resistência à mudança em sua vida. Se seus braços estão rígidos, pode significar que você está sendo teimoso. Talvez seja hora de ousar mudar as coisas ou, pelo menos, deixá-las!

Dor nos braços significa que você está carregando algo ou alguém como um fardo emocional. Pode ser hora de se perguntar por que você continua levando-o?

Dor nas mãos. As mãos simbolizam a conexão para com os outros, ou seja, não conseguir se conectar. Se você sentir dor na mão, isso pode significar que você não “se estica” o suficiente para os outros (não faz esforço para se aproximar das pessoas). Tente fazer novos amigos, ou rever seus antigos contatos!

Dor nos quadris significa que você já esteve com medo de se movimentar. Quadris doloridos podem ser um sinal de que você é muito resistente a mudanças e movimentos. Ele também podem mostrar uma cautela para a tomada de decisões. Se você está pensando em algumas grandes ideias, é hora de tomar uma decisão. Dor geral no quadris refere-se a apoiar aos outros ou se sentir apoiado. Quando a dor irradia para fora, geralmente refere-se a um desequilíbrio na forma como você está se relacionando com vida. Sentindo a falta de amor e de apoio.

Dor nas articulações em geral. Tal como os músculos, dor nas articulações significam falta de flexibilidade. Esteja aberto a novas maneiras de pensar, lições e experiências de vida.

A dor no joelho. O joelho, simboliza o nosso relacionamento com outro sujeito, equilibrado ou agressivo. O problema no joelho indica uma dificuldade de “se dobrar”, para aceitar as coisas como elas são. O interior do joelho refere-se à comunidade, trabalho, amigos; a parte externa do joelho é ligada a problemas pessoais. Lembre-se: você é um ser humano, um mero mortal. Não permita que seu ego domine a sua vida. O trabalho voluntário pode ser benéfico.

A dor dental representa o fato de que você não gosta de sua situação. Ficar com sentindo esse desgosto constantemente afeta suas emoções na vida cotidiana. Lembre-se que as situações acontecem mais rápido quando você se concentra nos aspectos positivos.

Dor no tornozelo mostra que você não está se permitindo ter prazer. Talvez seja hora de se tornar mais indulgente para consigo mesmo. Tente apimentar sua vida amorosa.

A dor do pé ocorre quando você está deprimido. Demasiada negatividade pode ocorrer sob seus pés. Aproveite os pequenos prazeres da vida. Adote um animal de estimação ou encontre um novo hobby, uma nova paixão. Busque momentos de alegria.

Uma dor inexplicável em várias partes do corpo: A estrutura celular do corpo é constantemente renovada e durante este processo, as energias negativas são eliminadas. Nesse estágio, o sistema imunológico e todos os sistemas do corpo ficam enfraquecidos. 
 
Assim, embora o corpo possa parecer estar em um estado de doença, ele na verdade está em um estado de limpeza. Saiba que vai passar!
O tempo passa, os meses começam e terminam,  as estações mudam; o verão que chega pra aquecer os corações, o inverno que traz o aconchego de um abraço mais apertado,  a primavera que chegou linda, mas as flores não foram pra mim... o outono brotou com sementes de esperança, e mesmo assim, tudo continua mudando no compasso do tempo e, da mesma maneira você percebe, que nunca está no calendário da vida da outra pessoa....

(a.d.)


 

 

sexta-feira, 29 de abril de 2016

Mente sã, corpo são: Escolas brasileiras aderem à prática de ioga


Redação em
Por Carolina Delboni


foto: Estudio Barbarella
foto: Estudio Barbarella
Ioga na Escola Arte de Ser.


O ditado, que é também título desse texto, quer dizer que se a cabeça está bem, o corpo também estará. Saudáveis, ambos estão mais bem preparados para trabalhar e, no caso da criança, brincar e estudar. Porque estudar precisa de concentração, precisa de calma, organização e paz. Sim, precisa de paz. E pensando nos inúmeros benefícios que práticas de ioga e meditação têm já comprovadas, um número já considerável de escolas têm introduzido ambas em sua grade escolar. E estamos falando de escolas públicas e particulares. Já são 12 só na cidade de Vitória (ES) por incentivo de um programa do governo. Em São Paulo, a Centro de Apoio O Visconde a prática de ioga ocorre desde 2014.  Segundo a ONG Mente Viva, a meditação já é ensinada em 194 escolas brasileiras.

Algo muito bacana e importante se observarmos o contexto de educação no país e a precariedade de muitas das escolas públicas. Há esperança.

foto: Estudio Barbarella
foto: Estudio Barbarella
A Escola Arte de Ser, está localizada na zona 
oeste de São Paulo.


E de olhos fechados, pernas cruzadas, muito silêncio e concentração, crianças e adolescentes têm demonstrado muito interesse pelas aulas de ioga e meditação, que intercalam as tradicionais de português, matemática, física e química. É um tempo em que as crianças param, ficam quietinhas, respiram com calma, e até descansam. Fogem do estresse diário de agendas superlotadas, aulas extras, pressão por desempenho e as outras muitas exigências que se faz da infância. Os benefícios são muitos e poder aliviar um pouco a carga é de grande valia. Todos já comprovados pela ciência como a melhora na oxigenação do cérebro e o aumento da circulação sanguínea. Sem falar na melhora da socialização, da autoestima, coordenação motora e flexibilidade. Até para lidar com problemas e desconfortos emocionais.  E que bacana ver muita escola preocupada em melhorar a relação aluno-professor. Ambos são beneficiados. Tem também a qualidade de vida escolar da criança que dá um salto. Não necessariamente em notas, mas em aproveitamento e aprendizado. Obviamente, que todo esse ensinamento ainda deixa um legado a vida adulta destas crianças. Julia Delibero, mãe do Pedro de cinco anos, que estuda na Escola Catavento, em São Paulo, fala da certeza do filho crescer com a possibilidade de poder parar para resolver problemas e não fazer tudo com pressa. “Em um mundo como o nosso que fazemos tudo correndo, quase que no automático, é muito importante aprender a parar, respirar e pensar”, fala.


Cecília, 3 anos, é filha de Delana Corazza, e tem o costume de se acalmar com a respiração de ioga quando fica nervosa. “Penso que a ioga pode ser uma parte da brincadeira na escola, uma outra relação com o próprio corpinho que segue desenvolvendo”, conta Delana que tem a filha na escola Arte de Ser, localizada na zona oeste de São Paulo, única do ocidente a aplicar a filosofia how-to-live, do iogue Paramahansa Yogananda – muito difundidas na Índia.  Delana também sabe dos benefícios no futuro da filha. “Acho que a possibilidade de ser menos ansiosa e viver o momento com mais intensidade, respeitar o silêncio, aguçar os sentidos e ter uma relação saudável com o corpo são aprendizados pra vida”, fala. “A ioga é uma forma de se conectar ao mundo de forma mais equilibrada,  com todos os seres da natureza, e respeitar o outro e a si mesma”, pontua a mãe também praticante de ioga.

foto: Estudio Barbarella
foto: Estudio Barbarella
A Escola Arte de Ser é a única do ocidente a aplicar a filosofia how-to-live, do iogue Paramahansa Yogananda – muito difundidas na Índia.

Foram através dos ensinamentos do mestre Saraswati Satyananda, da Bihar School of Yoga, na Índia, que se introduziu e implementou as práticas em escolas americanas há quase 20 anos. E hoje os Estados Unidos é o país número um, se assim podemos dizer, em práticas orientais difundidas em escolas e universidades, além, claro, do dia a dia dos americanos. Tanto lá como na França e, na Inglaterra, existem muitos livros didáticos e materiais infantis para trazer o ensinamento ainda mais próximo dos pequenos. Sabe o elefante Babar? Tem um DVD dele fazendo ioga que é super adorado.  Porque são ensinamentos que valem por uma vida toda. As crianças passam a perceber que o estresse não é um estado natural e se sentem aliviadas quando conseguem controlá-lo. Aprender a lidar com as emoções e as sensações que elas causam é essencial pra construção de um mundo onde pedimos por mais companheirismo e mais colaboração com, e para com, o outro. Para construirmos um mundo onde o ‘ser’ tenha mais valor que o ‘ter’.

Carolina Delboni

fonte: catraquinha.catracalivre.com.br

Amo elefantes!! Os elefantes têm o cérebro 5 vezes maior do que o nosso. Extremamente sensíveis!! Cuidam muito uns dos outros e sofrem excessivamente quando encontram uma carcaça de elefante, mesmo que este não tenha sido um membro do seu clã. Quando algum membro do seu bando morre; param sobre o corpo ou sobre os ossos como num ritual, cheiram, reviram, ficam olhando por horas como que em oração. 
Muito lindo!! Muito sagrado!!



 Ana Lúcia do Carmo
integracaoholistica.blogspot.com

A RAPOSA E O PRÍNCIPE


E foi então que apareceu a raposa:

__Bom dia, disse a raposa.
__Bom dia, respondeu polidamente o principezinho, que se voltou, mas não viu nada.
Eu estou aqui, disse a voz, debaixo da macieira...
__Quem és tu? perguntou o principezinho. Tu és bem bonita...
__Sou uma raposa, disse a raposa.
__Vem brincar comigo, propôs o principezinho. Estou tão triste...
__Eu não posso brincar contigo, disse a raposa. Não me cativaram ainda.
__Ah! desculpa, disse o principezinho. Após uma reflexão, acrescentou:
__Que quer dizer "cativar"?
__Tu não és daqui, disse a raposa. Que procuras?
__Procuro os homens, disse o principezinho. Que quer dizer "cativar"?
__Os homens, disse a raposa, têm fuzis e caçam. É bem incômodo! Criam galinhas também.
É a única coisa interessante que eles fazem. Tu procuras galinhas?
__Não, disse o principezinho. Eu procuro amigos. Que quer dizer "cativar"?
__É uma coisa muito esquecida, disse a raposa. Significa "criar laços...".
__Criar laços?
__Exatamente, disse a raposa. Tu não és ainda para mim senão um garoto inteiramente igual a cem mil outros garotos. E eu não tenho necessidade de ti. E tu não tens necessidade de mim. Não passo a teus olhos de uma raposa igual a cem mil outras raposas. Mas se tu me cativas, nós teremos necessidade um do outro. Serás para mim único no mundo. E eu serei para ti única no mundo...
__Começo a compreender, disse o principezinho... Existe uma flor... Eu creio que ela me cativou...
__É possível, disse a raposa. Vê-se tanta coisa na Terra...
__Oh! não foi na Terra, disse o principezinho.
A raposa pareceu intrigada:
__Num outro planeta?
__Sim.
__Há caçadores nesse planeta?
__Não.
__Que bom. E galinhas?
__Também não.
__Nada é perfeito, suspirou a raposa.


Mas a raposa voltou à sua ideia:
__Minha vida é monótona. Eu caço galinhas e os homens me caçam. Todas as galinhas se parecem e todos os homens se parecem também. E por isso me aborreço um pouco. Mas se tu me cativas, minha vida será como que cheia de sol. Conhecerei um barulho de passos que será diferente dos outros. Os outros passos me fazem entrar debaixo da terra. O teu me chamará para fora da toca,como se fosse música. E depois, olha! Vês lá longe, os campos de trigo? Eu não como pão. O trigo para mim é inútil. Os campos de trigo não me lembram coisa alguma. E isso é triste! Mas tu tens cabelos cor de ouro. Então será maravilhoso quando me tiveres cativado. O trigo, que é dourado, fará lembrar-me de ti. E eu amarei o barulho do vento no trigo...


A raposa calou-se e considerou por muito tempo o príncipe:
__Por favor... cativa-me! disse ela.
__Bem quisera, disse o principezinho, mas eu não tenho muito tempo. Tenho amigos a descobrir e muitas coisas
a conhecer.
__A gente só conhece bem as coisas que cativou, disse a raposa. Os homens não têm mais tempo de conhecer coisa alguma. Compram tudo prontinho nas lojas. Mas como não existem lojas de amigos, os homens não têm mais amigos. Se tu queres um amigo, cativa-me!
__Que é preciso fazer? perguntou o principezinho.
__É preciso ser paciente, respondeu a raposa. Tu te sentarás primeiro um pouco longe de mim, assim, na relva. Eu te olharei para o canto do olho e tu não dirás nada. A linguagem é uma fonte de mal entendidos. Mas, cada dia, te sentarás mais perto...
 

No dia seguinte o principezinho voltou.
__Teria sido melhor voltares à mesma hora, disse a raposa. Se tu vens, por exemplo, às quatro da tarde, desde as três eu começarei a ser feliz. Quanto mais a hora for chegando, mais eu me sentirei feliz. Às quatro horas então, estarei inquieta e agitada: descobrirei o preço da felicidade!

Antoine de Saint-Exupéry

quinta-feira, 28 de abril de 2016

Liberdade é pouco, o que desejo ainda não tem nome!!

Clarice Lispector.


Vídeo : Música - "Lily Allen - Somewhere Only We Know"



Tradução :

"Um lugar que só nós conhecemos"
 
Eu andei por uma terra vazia
Eu conhecia o caminho como a palma da minha mão
Eu senti a terra sob meus pés
Eu sentei ao lado do rio e ele me completou

Oh coisa simples, pra onde você foi?
Estou ficando cansada e preciso de alguém para confiar

Eu dei de encontro com uma árvore caída
Eu senti seus galhos olhando para mim
Esse é o lugar que nós costumávamos amar?
Esse é o lugar com que eu tenho sonhado?

Oh coisa simples, pra onde você foi?
Estou ficando velha e preciso de alguma coisa para confiar

E se você tiver um minuto por que não vamos
Conversar sobre isso num lugar que só nós conhecemos?
Esse pode ser o fim de tudo
Então por que nós não vamos
Para um lugar que só nós conhecemos?
Para um lugar que só nós conhecemos?

"O amor é mais falado do que vivido, por isto vivemos em um tempo de secreta angústia".


O sociólogo polonês Zygmunt Bauman declara que vivemos em um tempo que escorre pelas mãos, um tempo líquido em que nada é para persistir. Não há nada tão intenso que consiga permanecer e se tornar verdadeiramente necessário. Tudo é transitório. Não há a observação pausada daquilo que experimentamos, é preciso fotografar, filmar, comentar, curtir, mostrar, comprar e comparar.

O desejo habita a ansiedade e se perde no consumismo imediato. A sociedade está marcada pela ansiedade, reina uma inabilidade de experimentar profundamente o que nos chega, o que importa é poder descrever aos demais o que se está fazendo.
Em tempos de Facebook e Twitter não há desagrados, se não gosto de uma declaração ou um pensamento, deleto, desconecto, bloqueio.

Perde-se a profundidade das relações; perde-se a conversa que possibilita a harmonia e também o destoar. Nas relações virtuais não existem discussões que terminem em abraços vivos, as discussões são mudas, distantes. As relações começam ou terminam sem contato algum. Analisamos o outro por suas fotos e frases de efeito. Não existe a troca vivida.
Ao mesmo tempo em que experimentamos um isolamento protetor, vivenciamos uma absoluta exposição. Não há o privado, tudo é desvendado: o que se come, o que se compra; o que nos atormenta e o que nos alegra.

O amor é mais falado do que vivido. Vivemos um tempo de secreta angústia. Filosoficamente a angústia é o sentimento do nada. O corpo se inquieta e a alma sufoca. 

Há uma vertigem permeando as relações, tudo se torna vacilante, tudo pode ser deletado: o amor e os amigos.

“Estamos todos numa solidão e numa multidão ao mesmo tempo”. Zygmunt Bauman

fonte: www.portalraizes.com
  
Acabei de crer que mudanças são as melhores coisas que acontecem nas nossas vidas. Porque ficamos acomodamos em uma situação, porque a zona de conforto é sempre o melhor lugar, o mais conhecido lugar, que nunca representa perigo algum. Mas a vida, sempre mexe nas peças do tabuleiro, sempre nos muda ou causa situações para tomarmos uma atitude. 
Como um túnel que vai afunilando, as situações vão acontecendo e quase que sem saída, "ou nos mexemos, ou a vida nos faz mexer".
Mudanças devem ser sempre abençoadas, sempre bem vindas. Imagino o esforço de um Universo inteiro pra mudar uma situação, uma pessoa. Para mim, o melhor é não brigar, nem tentar resistir às mudanças, mas entrar no fluxo, entrar na tempestade quando for o caso e aprender e desenvolver o que temos de melhor; nosso lado sombra, lado pior, ou seja lá o nome que cada um der, também será beneficiado de qualquer forma.
Mudanças só podem nos fortalecer quando não cruzamos os braços somente para reclamar.
Mudanças movem moinhos, abrem caminhos!!

Ana Lúcia do Carmo.

integracaoholistica.blogspot.com

quarta-feira, 27 de abril de 2016

Algumas vezes, é preciso silenciar, sair de cena, e esperar que a sabedoria do tempo, termine o espetáculo!


Alunos de São Paulo, estão tendo aulas sobre raiva, tristeza, solidão e felicidade..

Escolas ensinam a lidar com as emoções

SCHOOLKIDS
No fim do ano, escolas não esperam que os alunos tenham aprendido só a fazer contas, interpretar um texto ou saber o nome dos Estados brasileiros.
Colégios particulares e da rede estadual de São Paulo estão adotando estratégias para que desenvolvam habilidades socioemocionais, como cooperação, empatia, senso crítico e curiosidade. 

"Essas habilidades estão intimamente ligadas às cognitivas. São elas que potencializam e aprofundam o aprendizado. A escola que decide trabalhar o lado socioemocional precisa mudar a sua estrutura, suas aulas. Porque esse não é um trabalho intuitivo, ele precisa ser planejado", observa Márcia Almirall, orientadora pedagógica do Colégio Santa Maria, na zona sul de São Paulo.
No ano passado, a escola capacitou os professores para que as práticas pedagógicas fossem alteradas em sala de aula. Para os alunos do fundamental 1 (do 1º ao 5º ano), as carteiras foram alteradas para facilitar o trabalho em grupo. Os docentes também são estimulados a darem aula em locais diferentes, como no pátio ou no jardim. 

"Em todas as disciplinas é possível desenvolver as habilidades socioemocionais, se nos planejarmos. Então, nas aulas de matemática, todos trabalham em grupos. Em português, fazem rodas de conversa para discutir a disciplina. Em tudo dá para trabalhar, se soubermos estimular os alunos da maneira correta", afirma Márcia. 

O ensino socioemocional foi adotado em 2015, de forma experimental, em 17 escolas da rede estadual. Para este ano, o número subiu para 145, todas com período integral e ensino fundamental 1. "Estamos consolidando a ideia de que não é possível fazer um bom trabalho sem focar nessas habilidades (socioemocionais). Com o tempo, esse projeto vai ser ampliado para todas as unidades", diz Ghisleine Trigo, coordenadora de gestão da Educação Básica da Secretaria Estadual de Educação.

Suporte
A ideia ao desenvolver habilidades socioemocionais nas crianças é dar ferramentas para que consigam lidar da melhor forma em situações de conflito e assim reduzir a vulnerabilidade dos estudantes. A escola estadual Professora Irene Ribeiro, na Vila Carrão, zona leste, foi uma das que recebeu o projeto no ano passado. Todos os professores foram capacitados para o novo modelo, aplicado em todas as disciplinas.

Elaine Carapiá, que dá aula para o 3ºano, conta que as mudanças fizeram com que o professor se tornasse uma peça menos central na sala de aula e mais um mediador para que os alunos tivessem mais espaço para tirar dúvidas e aprender com os colegas. As aulas também falam sobre os sentimentos e como lidar com eles.

"Eles vivenciam situações muito difíceis em casa que podem impactar o aprendizado. Outro dia um estudante disse que os pais estavam brigando e jogaram as alianças no lixo. O menino, de 7 anos, começou a cantar e aconselhou os pais a se acalmarem. Ele aprendeu na escola que, quando se está nervoso, é importante respirar e disse isso para os pais em um momento de conflito", relata Elaine.
Em todo início de aula, os alunos se sentam em uma roda para falar como estão se sentindo. Segundo ela, é importante estimular as crianças a se expressarem para ganhar confiança. "Mudamos muita coisa. Não temos mais apenas uma relação entre aluno e professor, mas entre seres humanos."

Preconceito
No colégio Pio XII, na zona oeste, os adolescentes do ensino fundamental 2 (do 6º ao 9º ano) têm uma vez por semana uma aula em que são estimulados a trabalhar com as emoções e a abordar temas em que podem ter preconceitos. A disciplina utiliza dinâmicas em grupo e exercícios em que a turma conta histórias ou assiste a filmes sobre temas como a morte ou as drogas.
"Percebemos que, quando eles entendem o que sentem nas mais diversas situações, se tornam mais tolerantes, prestativos, têm mais empatia com os colegas", afirma a psicóloga e professora Patricia Prado.
Para ela, como as crianças passam a maior parte do tempo no colégio e desenvolvem as primeiras relações sociais no ambiente escolar, é responsabilidade dos colégios não só transmitir conhecimento, mas também valores morais e éticos. "Além disso, um aluno que possa ter problemas em casa ou em se relacionar com os colegas, e não sabe como lidar com essas situações, vai ter queda no rendimento escolar."
No colégio Eduque, na zona sul da capital, estudantes do ensino fundamental 1 também contam com aulas voltadas para essas habilidades, uma vez por semana. Com livros e histórias, os professores desencadeiam discussões sobre as emoções.
"Com repertórios leves e lúdicos, ensinamos a entender o que é sentir raiva, tristeza, solidão, felicidade. Com esse conhecimento, eles se tornam mais respeitosos e compreensivos com os colegas", observa a coordenadora pedagógica Lucelena Martins de Souza.
Ao abordar esses temas, Lucelena considera que os docentes abrem um canal de confiança e diálogo com os alunos. "Quando eles têm um problema, sabem que podem contar para nós, que vamos ajudar. Assim, ninguém fica excluído ou sem a atenção devida." 

As informações são do jornal O Estado de 
S. Paulo.

Vídeo : "Chaplin e o massoterapeuta" - Pra começar o dia com bom humor!!!




segunda-feira, 25 de abril de 2016

“Dizem que tudo o que buscamos também nos busca e, se ficarmos quietos, o que buscamos nos encontrará. Há algo que leva muito tempo esperando por nós. Enquanto não chega, nada faça. Descanse. Você verá o que acontece enquanto isso."


(Mulheres que correm com os lobos - Clarissa Pinkola)

domingo, 24 de abril de 2016

Lembrando das "cusparadas" dos últimos dias"!! Lamentável!! 
Lembrei-me de uma frase de Buda!!

Persistir na raiva é como apanhar um pedaço de carvão quente com a intenção de o atirar em alguém. É sempre quem levanta a pedra que se queima.

Buda.
 

Música : "Falando de amor" - Tom Jobim com Miucha - (Coisa mais linda)



Se eu pudesse por um dia
Esse amor, essa alegria
Eu te juro, te daria
Se pudesse esse amor todo dia 


Chega perto, vem sem medo
Chega mais meu coração
Vem ouvir esse segredo
Escondido num choro canção 


Se soubesses como eu gosto
Do teu cheiro, teu jeito de flor
Não negavas um beijinho
A quem anda perdido de amor 


Chora flauta, chora pinho
Choro eu o teu cantor
Chora manso, bem baixinho
Nesse choro falando de amor 


Quando passas, tão bonita
Nessa rua banhada de sol
Minha alma segue aflita
E eu me esqueço até do futebol 


Vem depressa, vem sem medo
Foi pra ti meu coração
Que eu guardei esse segredo
Escondido num choro canção
Lá no fundo do meu coração

Estudante cria prótese 100% brasileira, mais acessível e a partir de garrafas PET

 

Era um dia como qualquer outro, até que uma simples cena mudaria a vida dos estudantes Lucas Strasburg e Eduardo Trierweiler Boff de Novo Hamburgo (RS).
Há sete anos, eles se depararam com um rapaz andando estranho ao longe. Então perceberam que se tratava de uma pessoa amputada na altura da canela. “Aí acendeu uma lâmpada: há tanto avanço na medicina mas ainda não colocamos um paciente andando direito?”, disse Lucas, hoje com 24 anos, em entrevista ao site Exame.
Com este simples pensamento, os dois jovens colocaram a mão na massa e foram atrás de realizar algo importante e que faria a diferença na vida de muitas famílias.
Aproveitaram o projeto de conclusão do ensino técnico em mecânica da Fundação Liberato para colocar em prática a ideia de criar um novo tipo de prótese.
Logo de cara, descobriram que o Brasil não fabrica próteses de qualidade e que esse mercado é dominado por produtos importados. “A prótese de madeira oferecida gratuitamente pelo SUS é rígida e não permite a transferência de energia do calcanhar para a ponta do pé”, explicou Lucas.
Assim nasceu o Revo Foot, uma prótese 100% nacional, com a mesma qualidade das estrangeiras feitas de fibra de carbono e com um custo inferior às tradicionais.
A ideia é oferecer algo entre 30% e 40% mais barato que a concorrência e com crédito facilitado. “Se uma prótese fosse vendida a R$ 2 mil reais e paga em prestações, seria possível tirar grande parte dos pacientes da fila e oferecer um produto de qualidade sem explorá-los”, explica Lucas.
Outro fator incrível deste projeto é que, em vez da fibra, eles desenvolveram um material plástico injetável. “A biomecânica é similar e isso favorece a localização espacial, porque você consegue sentir todas as fases da marcha: apoio, balanço e equilíbrio”, contam.
A ideia de usar garrafas PET na fabricação dos modelos rendeu à dupla prêmios como o da Braskem e do Massachussetts Institute of Technology (MIT). O protótipo criado pela dupla aguentava 400 quilos de carga.
Atualmente, Lucas toca a empresa sozinho, que está incubando no laboratório da Unisinos, onde estuda Engenharia Mecânica. A expectativa do estudante é que o produto chegue ao mercado até o segundo semestre de 2017.
“Aliar as propriedades mecânicas de um material com a estrutura e a biomecânica de um ser humano caminhando é complexo”, conta, informando que já há um paciente experimentando para ajudar no feedback.
Além da questão da pesquisa, ele enfrenta também uma outra questão: a burocracia.
A prótese precisa ser certificada pelos órgãos apropriados. Porém, como o país sempre importou, eles simplesmente não possuem as normas necessárias para produtos internos ainda. Já estão sendo criadas estas normas, a pedido de Lucas e seus apoiadores, inclusive, mas até lá, isso é um empecilho.
Quando o assunto é investimento: “Há uma febre tremenda em relação aos apps e o investidor quer algo assim porque o desenvolvimento e a monetização são muito mais rápidos. Para nós na área da indústria, é preciso ter documentações aprovadas, comprar maquinário, fazer moldes, pagar funcionários, encontrar mão de obra qualificada, matéria prima, fornecedor… O investimento é muito mais alto”, diz.
Os próximos passos de Lucas são estabelecer um escritório em São Paulo, onde fechou parceria com uma empresa médica especializada, e pretende criar um crowdfunding. “Como não estou vendendo o produto ainda, a geração de caixa é zero. E como as transações jurídicas levam meses, precisamos de um montante de recursos para adiantar o processo”, diz.
Lucas chegou a rejeitar uma proposta de emprego no Canadá para desenvolver seu sonho no Brasil. “O que mais quero é colocar esse produto no mercado e ter uma renda que é fruto de ajudar as pessoas”, finaliza.



Empreendedorismo-Revo-Foot-3
Empreendedorismo-Revo-Foot
ja
Lucas-Strasburg-Eduardo-Trierweileir
size_810_16_9_revo-foot

Fonte: Exame
"Pai nosso, que estás nas flores, no canto dos pássaros, no coração a pulsar; que estás na compaixão, na caridade, na paciência e no gesto de perdão.
Pai nosso, que estás em mim, que estás naquele que eu amo, naquele que me fere, naquele que busca a verdade
Santificado seja o Teu nome por tudo o que é belo, bom, justo e gracioso.
Venha a nós o Teu reino de paz e justiça, fé e caridade, luz e amor.
Seja feita a Tua vontade, ainda que minhas rogativas prezem mais o meu orgulho do que as minhas reais necessidades.
Perdoa as minhas ofensas, os meus erros, as minhas faltas.
Perdoa quando se torna frio meu coração;
Perdoa-me, assim como eu possa perdoar àqueles que me ofenderem, mesmo quando meu coração esteja ferido.
Não me deixes cair nas tentações dos erros, vícios e egoísmo.
E livra-me de todo o mal, de toda violência, de todo infortúnio, de toda enfermidade. Livra-me de toda dor, de toda mágoa e de toda desilusão.
Mas, ainda assim, quando tais dificuldades se fizerem necessárias, que eu tenha força e coragem de dizer:
Obrigado, Pai, por mais esta lição!"
Amém
Namastê.