domingo, 21 de maio de 2017

Nos quarenta anos em que peregrinou pelo deserto, o povo de Israel, segundo conta a estória, foi alimentado por um alimento que caía dos céus durante a noite. 
As pessoas tinham permissão para colher desse alimento, o maná, na medida de suas necessidades. Só para o dia. 
Alguns, com medo de que o maná não caísse no dia seguinte, colheram em dobro, por via das dúvidas... Mas, quando foram comer o maná poupado, viram que ele estava apodrecido, cheio de bichos. Talvez isso queira dizer que a vida há de ser colhida diariamente. 
Quem deseja economizar o hoje para o amanhã fica com a vida apodrecida nas mãos.

Rubem Alves, meu poeta preferido.

Música : "Trem Bala" - Ana Vilela



Não é sobre ter
Todas as pessoas do mundo pra si
É sobre saber que em algum lugar
Alguém zela por ti

É sobre cantar e poder escutar
Mais do que a própria voz
É sobre dançar na chuva de vida
Que cai sobre nós

É saber se sentir infinito
Num universo tão vasto e bonito
É saber sonhar
E, então, fazer valer a pena cada verso
Daquele poema sobre acreditar


Não é sobre chegar no topo do mundo
E saber que venceu
É sobre escalar e sentir
Que o caminho te fortaleceu


É sobre ser abrigo
E também ter morada em outros corações
E assim ter amigos contigo
Em todas as situações


A gente não pode ter tudo
Qual seria a graça do mundo se fosse assim?
Por isso, eu prefiro sorrisos
E os presentes que a vida trouxe
Pra perto de mim


Não é sobre tudo que o seu dinheiro
É capaz de comprar
E sim sobre cada momento
Sorriso a se compartilhar


Também não é sobre correr
Contra o tempo pra ter sempre mais
Porque quando menos se espera
A vida já ficou pra trás


Segura teu filho no colo
Sorria e abrace teus pais
Enquanto estão aqui
Que a vida é trem-bala, parceiro
E a gente é só passageiro prestes a partir.


A herança emocional dos nossos antepassados

A herança emocional dos nossos antepassados
A herança emocional é tão decisiva quanto intransigente e impositora. Estamos enganados quando pensamos que a nossa história começou quando emitimos o nosso primeiro choro. Pensar dessa forma é um erro, porque assim como somos o fruto da união do óvulo e do esperma, também somos um produto dos desejos, fantasias, medos e toda uma constelação de emoções e percepções que se misturaram para dar origem a uma nova vida.
Atualmente falamos muito sobre o conceito de “história familiar”. Quando uma pessoa nasce, ela começa a escrever uma história com suas ações. Se observarmos as histórias de cada membro de uma família, encontraremos semelhanças essenciais e objetivos comuns. Parece que cada indivíduo é um capítulo de uma história maior, que está sendo escrita ao longo de diferentes gerações.
“A verdade sem amor dói. A verdade com amor cura. ”
-Anônimo-

Esta situação foi muito bem retratada no livro “Cem Anos de Solidão”, de Gabriel García Márquez, que mostra como o mesmo medo é repetido através de diferentes gerações até que se torna realidade e termina com toda uma linhagem. O que herdamos das gerações anteriores são os pesadelos, os traumas e as experiências mal resolvidas.

A herança de nossos antepassados que atravessa gerações

Esse processo de transmissão entre as gerações é algo inconsciente. Normalmente são situações ocultas ou confusas que causam vergonha ou medo. Os descendentes de alguém que sofreu um trauma não tratado suportam o peso dessa falta de resolução. Eles sentem ou pressentem que existe “algo estranho” que gravita ao seu redor como um peso, mas que não conseguem definir o que é.

Por exemplo, uma avó que foi abusada sexualmente transmite os efeitos do seu trauma, mas não o seu conteúdo. Talvez até mesmo seus filhos, netos e bisnetos sintam uma certa intolerância em relação à sexualidade, ou uma desconfiança visceral das pessoas do sexo oposto, ou uma sensação de desesperança que não conseguem explicar.
Essa herança emocional também pode se manifestar como uma doença. O psicanalista francês Françoise Dolto, disse, “o que é calado na primeira geração, a segunda carrega no corpo”.
Assim como existe um “inconsciente coletivo“, também existe um “inconsciente familiar”. Nesse inconsciente estão guardadas todas as experiências silenciadas, que estão escondidas porque são um tabu: suicídios, abortos, doenças mentais, homicídios, perdas, abusos, etc. O trauma tende a se repetir na próxima geração, até encontrar uma maneira de tornar-se consciente e ser resolvido.

Esses desconfortos físicos ou emocionais que parecem não ter explicação podem ser “uma chamada” para que tomemos consciência desses segredos silenciados ou daquelas verdades escondidas, que provavelmente não estão na nossa própria vida, mas na vida de algum dos nossos antepassados.

O caminho para a compreensão da herança emocional

É natural que diante de experiências traumáticas as pessoas reajam tentando esquecer. Talvez a lembrança seja muito dolorosa e elas acreditam que não serão capazes de suportá-la e transcendê-la. Ou talvez a situação comprometa a sua dignidade, como no caso de abuso sexual, em que apesar de ser uma vítima, a pessoa se sente constrangida e envergonhada. Ou simplesmente querem evitar o julgamento dos outros. Por isso, o fato é enterrado e a melhor solução é não falar sobre assunto.
Este tipo de esquecimento é muito superficial. Na verdade o tema não está esquecido, a lembrança é reprimida. Tudo que reprimimos se manifesta de uma outra forma. É mais seguro quando volta através da repetição.
Isto significa que uma família que tenha vivenciado o suicídio de um dos seus membros provavelmente vai experimentá-lo novamente com outra pessoa de uma nova geração. Se a situação não foi abordada e resolvida, ficará flutuando como um fantasma que voltará a se manifestar mais cedo ou mais tarde. O mesmo se aplica a todos os tipos de trauma.
diario-antigo
Cada um de nós tem muito a aprender com os seus antepassados. A herança que recebemos é muito mais ampla do que supomos. Às vezes os nossos antepassados nos fazem sofrer e não sabemos o porquê.
Talvez tenhamos nascido em uma família que passou por muitas vicissitudes, e não saibamos qual é o nosso papel nessa história, na qual somos apenas um capítulo. É provável que esse papel nos tenha sido atribuído sem o nosso conhecimento: devemos perpetuar, repetir, salvar, negar ou encobrir as feridas destes eventos transformados em segredos.
Todas as informações que pudermos coletar sobre os nossos antepassados serão o melhor legado que podemos ter. Saber de onde viemos, quem são essas pessoas que não conhecemos, mas que estão na raiz de quem somos, é um caminho fascinante que só nos trará benefícios. Isto nos ajudará a dar um passo importante para chegar a uma compreensão mais profunda de qual é o nosso verdadeiro papel no mundo.

fonte: amenteemaravilhosa.com.br


sábado, 20 de maio de 2017

A Velhice - Por Rubem Alves

 









Por oposição aos gerontologistas, que analisam a velhice como um processo biológico, eu estou interessado na velhice como um acontecimento estético. 
A velhice tem a sua beleza, que é a beleza do crepúsculo. A juventude eterna, que é o padrão estético dominante em nossa sociedade, pertence à estética das manhãs. 
As manhãs têm uma beleza única, que lhes é própria. Mas o crepúsculo tem um outro tipo de beleza, totalmente diferente da beleza das manhãs. A beleza do crepúsculo é tranquila, silenciosa - talvez solitária. No crepúsculo tomamos consciência do tempo. 
Nas manhãs, o céu é como um mar azul, imóvel. Nos crepúsculos, as cores se põem em movimento: o azul vira verde, o verde vira amarelo, o amarelo vira abóbora, o abóbora vira vermelho, o vermelho vira roxo - tudo rapidamente. 
Ao sentir a passagem do tempo, nós percebemos que é preciso viver o momento intensamente. “Tempus fugit”- o tempo foge - portanto, “carpe diem”- colha o dia. 
No crepúsculo, sabemos que a noite está chegando. Na velhice, sabemos que a morte está chegando. E isso nos torna mais sábios e nos faz degustar cada momento como uma alegria única. 
Quem sabe que está vivendo a despedida olha para a vida com olhos mais ternos...

Rubem Alves, meu poeta preferido.

“...Quando tudo se aquieta,
e o tempo diz sua passagem
nas cores que se sucedem,
o rosa, o vermelho, o marrom,
o roxo, o negro...
Sabe-se então que o fim chegou.
Pôr-do-sol é metáfora poética,
e se sentimos assim é porque
sua beleza triste mora em nosso
próprio corpo.
Somos seres crepusculares..."


Rubem Alves, meu poeta preferido.

Vídeo : "Convivência"



Vídeo : Razão x Emoção: Animação que inspirou o filme "Divertida Mente"



Morrer não é nada; horrível é não viver!!

Victor Hugo.

sexta-feira, 19 de maio de 2017

Muita oração minha gente; o plano é maquiavélico para quem ainda não entendeu as entrelinhas!! 
O plano espiritual precisa da nossa ajuda. Menos brincadeiras com a situação em que nos colocaram, a qual temos a nossa parcela de culpa, por conivência e por falta de indignação na hora certa, por achar que tudo o que vinha acontecendo era algo normal!! 






Ana Lúcia do Carmo.
"A Humanidade, hoje está vivendo uma situação de apocalipse, entendendo a palavra apocalipse como revelação. 
Há algo desmoronando, e há também algo que está nascendo. 
Nós escutamos o barulho do carvalho que cai, mas não escutamos o barulho da floresta que brota. 
Ouvimos o ruído das torres desmoronando, mas não escutamos a consciência que desperta. 
No mundo de hoje, há muitas coisas que desmoronam, e em geral falamos das coisas que fazem ruído, mas não falamos das sementes de Consciência e de Luz que estão germinando."



Jean Y. Leloup
Após um naufrágio, o único sobrevivente agradeceu a Deus por estar vivo e ter conseguido se agarrar aos destroços, boiando até terra firme, em uma pequena ilha desabitada e fora de qualquer rota de navegação.
Com muita dificuldade e restos dos destroços, ele conseguiu montar um pequeno abrigo para se proteger do sol, da chuva e de animais e para guardar seus poucos pertences, agradecendo mais uma vez por sua boa sorte.
Nos dias seguintes, a cada alimento que conseguia caçar ou colher, ele agradecia.
No entanto, um dia, quando voltava de um passeio pela floresta, encontrou seu abrigo em chamas, envolto em altas nuvens de fumaça.
Terrivelmente desesperado, ele se revoltou. Gritava, chorando:
– O pior aconteceu! Perdi tudo! Deus, por que fizeste isso comigo?
Chorou tanto que adormeceu, profundamente cansado.
No dia seguinte, bem cedo, foi despertado pelo som de um navio que se aproximava.
– Viemos resgatá-lo, disseram.
– Como souberam que eu estava aqui? Perguntou ele.
– Nós vimos seu sinal de fumaça!


É comum nos sentirmos desencorajados e até desesperados quando as coisas vão mal. Mas Deus age em nosso benefício, mesmo nos momentos de dor e sofrimento.

Lembre-se: se algum dia o seu ÚNICO abrigo estiver em chamas, esse pode ser o sinal de fumaça que fará chegar até você a AJUDA DIVINA!



terça-feira, 16 de maio de 2017

A vida é uma combinação de destino e livre arbítrio. 
A chuva é o destino, a possibilidade de se molhar ou não é escolha sua.

Sri Sri Ravi Shankar.
Pergunte a si mesmo o que é realmente importante.

Então, tenha coragem e sabedoria para construir a sua vida dentro da sua resposta.

Lee Jampolsky

segunda-feira, 15 de maio de 2017

Vídeo : Bhagavad Gita - Comentários filosóficos sobre o livro sagrado indiano.


MÚSICA: Jashn-E-Bahaaraa , da trilha sonora do belo fime JODHAA ACKBAR.
Trata-se de um tratado universal sobre a natureza humana.
O Bhagavad Gîta é um diálogo entre um mestre e seu discípulo: Krishna e Arjuna.
Um poema belíssimo que expõe a visão hindu sobre o que é a vida, o que é o homem, de onde ele partiu, onde deverá chegar e como chegar.

Nova Acrópole é uma organização filosófica presente em mais de 50 países desde 1957, e tem por objetivo desenvolver em cada ser humano aquilo que tem de melhor, por meio da Filosofia, da Cultura e do Voluntariado.

www.acropolis.org
www.acropole.org.br (Brasil - Centro-Oeste, Norte e Nordeste, exceto Bahia)
www.nova-acropole.org.br (Brasil - Sul, Sudeste e Bahia)
E se não quisermos, não pudermos, não soubermos, com palavras, nos dizer um pouco um para o outro, senta ao meu lado assim mesmo. 
Deixa os nossos olhos se encontrarem vez ou outra até nascer aquele sorriso bom que acontece quando a vida da gente se sente olhada com amor. Senta apenas ao meu lado e deixa o meu silêncio conversar com o seu. Às vezes, a gente nem precisa mesmo de palavras.

Ana Jácomo.

domingo, 7 de maio de 2017

Vídeo : "A evolução humana segundo a tradição oriental (ZEN)


Trata-se de comentários sobre a PARÁBOLA DOS 10 TOUROS, muito pouco conhecida entre nós mas que simboliza em 10 passos a evolução necessária ao homem.

Vídeo :"UBUNTU"

Ubuntu Todos Os Dias, Ame Todos Os Dias!
"Ubuntu" é uma palavra que representa uma filosofia e uma ética antiga africana que significa: "Sou quem sou, porque somos todos nós".


Sou o que quero ser, porque possuo apenas uma vida e nela só tenho uma chance de fazer o que quero.
Tenho felicidade o bastante para fazê-la doce, dificuldades para fazê-la forte, tristeza para fazê-la humana e esperança suficiente para fazê-la feliz.
As pessoas mais felizes não tem as melhores coisas,
elas sabem fazer o melhor das oportunidades que aparecem em seus caminhos..

Clarice Lispector...




sábado, 6 de maio de 2017



A tragédia da vida é que nos tornamos velhos cedo demais e sábios tarde demais. 
 

Benjamin Franklin
Desilusões. 
Uma eterna dança da solidão; carência crônica. Disfarça e ri que melhora; ameniza, mas não cura, dorme, sonha que ela foi embora. Acorda, ela tá lá, te esperando na porta. 
Chora por dentro, chora quando ninguém estiver olhando, se faz de forte. Chora! Conforta a alma, confronta a dor, pergunta. Manda ela embora. Renasça!!

Ana Lúcia do Carmo.

Se quiseres ser feliz, 
Ouse!
Se quiseres ser infeliz, 
Reprima-se!


Lu Lena.

"O azar e a sorte não existem. Deus não joga dados."


"O ser humano é muito interessante.
Não importam os fatos ou as consequências. Não importa nem o sofrimento envolvido. Cada um só ouve o quer ouvir, só vê o que quer ver, continuam agindo de forma inconsciente e irresponsável e enquanto isso o caos vai aumentando.
Até quando continuarão buscando culpados?
Por que será que algumas pessoas têm tanta resistência em assumir a responsabilidade pelas suas vidas?
Como dizia Einstein
"O azar e a sorte não existem. Deus não joga dados."
Então se azar e sorte não existem o que sobra é a ressonância e a sincronicidade.
Viva a responsabilidade e nosso poder de criação!
Quer mudar alguma coisa fora, trabalhe internamente, mude sua vibração e aí sua realidade exterior se construirá a partir de uma nova matriz." 

Carlos Humberto Soares Junior
Reiki • Alinhamento Energético • Ho'oponopono
ClearMind .:. Somos Todos Um .:.
www.clearmind.com.br
Bom dia amigos

segunda-feira, 1 de maio de 2017

Decisão poética: Índia proíbe encarceramento de pássaros

 
 
“Tenho claro em minha mente que todos os pássaros têm os direitos fundamentais de voar nos céus e que os seres humanos não têm o direito de mantê-los presos em gaiolas para satisfazer os seus propósitos egoístas ou o que quer que seja”, declarou o Juiz Manmohan Singh.

A decisão foi tomada em relação a um caso no qual diversos pássaros foram resgatados de um homem chamado Md Mohazzim, que afirmava ser tutor dos animais mas a ONG People for Animals indicou que ele mantinha-os em pequenas gaiolas e vendia-os para obter lucro. Após as aves terem sido capturadas, o tribunal de primeira instância devolveu os pássaros para Mohazzim, levando a ONG a apelar da decisão em uma instância superior.
O outro tribunal emitiu a decisão, comentando que “esta corte tem a opinião de que realizar o comércio de pássaros é uma violação aos seus direitos. Eles merecem compaixão. Ninguém está se importando se eles foram vítimas de crueldade ou não, apesar de uma lei que diz que as aves têm o direito fundamental de voar e não podem ser engaiolados, e terão de ser soltos no céu. Pássaros têm direitos fundamentais que incluem o direito de viver com dignidade e não podem ser submetidos à crueldade por ninguém, incluindo a reivindicação feita pelo respondente (Mohazzim)”.
As autoridades de Nova Delhi, bem como Mohazzim, foram notificados sobre a decisão do tribunal e a sua resposta é solicitada até dia 28 de maio.
Esta não é a primeira vez que a Índia age no sentido de reconhecer os animais como seres sencientes com direitos fundamentais. O tribunal superior do país baniu os shows com golfinhos cativos em 2013, argumentando que eles têm um alto nível de inteligência que possibilita considerá-los “pessoas não humanas”. A produção de cosméticos testados em animais, o sacrifício de animais em rituais religiosos, o foie gras e as rinhas de cães também são proibidos no país, a fim de proteger os direitos básicos dos animais.
 
Aqueles que não aprendem nada sobre os fatos desagradáveis de suas vidas, forçam a consciência cósmica que os reproduza tantas vezes quanto seja necessário, para aprender o que ensina o drama do que aconteceu. 
"O que negas te submete. O que aceitas te transforma. “


Carl Jung

domingo, 30 de abril de 2017

"Dentro de mim mora um palhaço e um poeta: riso e beleza... Se eu não fosse escritor acho que seria um jardineiro. No paraíso Deus não construiu altares e catedrais. Plantou um jardim. Deus é um jardineiro. Por isso plantar jardins é a mais alta forma de espiritualidade." ‪


Rubem Alves, meu poeta preferido
A saudade é um buraco dolorido na alma. 
A presença de uma ausência. 
A gente sabe que alguma coisa está faltando. Um pedaço nos foi arrancado. Tudo fica ruim. 
A saudade fica uma aura que nos rodeia. Por onde quer que a gente vá, ela vai também. Tudo nos faz lembrar a pessoa querida. Tudo que é bonito fica triste, pois o bonito sem a pessoa amada é sempre triste. 
Aí, então, a gente aprende o que significa amar: esse desejo pelo reencontro que trará a alegria de volta. A saudade se parece muito com a fome. A fome também é um vazio. O corpo sabe que alguma coisa está faltando. 
A fome é saudade do corpo. 
A saudade é a fome da alma.


Rubem Alves, meu poeta preferido.
O mundo é uma escola, a vida é o circo, "Amor: palavra que liberta," já dizia o profeta.


Apagaram tudo
Pintaram tudo de cinza
A palavra no muro ficou coberta de tinta

Apagaram tudo
Pintaram tudo de cinza
Só ficou no muro tristeza e tinta fresca

Nós que passamos apressados
Pelas ruas da cidade
Merecemos ler as letras e as palavras de gentileza

Por isso eu pergunto à você no mundo
Se é mais inteligente o livro ou a sabedoria

O mundo é uma escola
A vida é um circo
Amor palavra que liberta
Já dizia um profeta

Apagaram tudo
Pintaram tudo de cinza
Só ficou no muro tristeza e tinta fresca
Por isso eu pergunto a você no mundo
Se é mais inteligente o livro ou a sabedoria

O mundo é uma escola
A vida é um circo
Amor palavra que liberta
Já dizia o profeta

Música : "Diariamente" - Marisa Monte



Composição : Nando Reis

Para calar a boca: Rícino
Para lavar a roupa: Omo
Para viagem longa: Jato
Para difíceis contas: Calculadora

Para o pneu na lona: Jacaré
Para a pantalona: Nesga
Para pular a onda: Litoral
Para lápis ter ponta: Apontador

Para o Pará e o Amazonas: Látex
Para parar na Pamplona: Assis
Para trazer à tona: Homem-Rã
Para a melhor azeitona: Ibéria

Para o presente da noiva: Marzipã
Para Adidas: o Conga Nacional
Para o outono, a folha: Exclusão
Para embaixo da sombra: Guarda-Sol

Para todas as coisas: Dicionário
Para que fiquem prontas: Paciência
Para dormir a fronha: Madrigal
Para brincar na gangorra: Dois

Para fazer uma toca: Bobs
Para beber uma Coca: Drops
Para ferver uma sopa: Graus
Para a luz lá na roça: 220 volts

Para vigias em ronda: Café
Para limpar a lousa: Apagador
Para o beijo da moça: Paladar
Para uma voz muito rouca: Hortelã

Para a cor roxa: Ataúde
Para a galocha: Verlon
Para ser moda: Melancia
Para abrir a rosa: Temporada

Para aumentar a vitrola: Sábado
Para a cama de mola: Hóspede
Para trancar bem a porta: Cadeado
Para que serve a calota: Volkswagen

Para quem não acorda: Balde
Para a letra torta: Pauta
Para parecer mais nova: Avon
Para os dias de prova: Amnésia

Para estourar a pipoca: Barulho
Para quem se afoga: Isopor
Para levar na escola: Condução
Para os dias de folga: Namorado

Para o automóvel que capota: Guincho
Para fechar uma aposta: Paraninfo
Para quem se comporta: Brinde
Para a mulher que aborta: Repouso

Para saber a resposta: Vide-o-Verso
Para escolher a compota: Jundiaí
Para a menina que engorda: Hipofagin
Para a comida das orcas: Krill

Para o telefone que toca
Para a água lá na poça
Para a mesa que vai ser posta
Para você o que você gosta
Diariamente

sábado, 29 de abril de 2017

Às vezes é preciso dormir, dormir muito. Não pra fugir, mas pra descansar a alma dos sentimentos. Quem nasceu com a sensibilidade exacerbada sabe quão difícil é engolir a vida. Porque tudo, absolutamente tudo devora a gente inteira.


Marla de Queiroz
Yellow - Coldplay