quinta-feira, 5 de julho de 2018

COMO LIDAR COM PAIS TÓXICOS

Vamos falar de pais tóxicos?

São pessoas que acreditam que os filhos são propriedades.
Ou seja, não valorizam a opinião deles e os manipulam como querem.
Na infância, esses pais costumam passar a ideia de que a criança é ingrata, egoísta ou até mesmo bastante dramática – isso quando elas dizem o que estão sentindo.
Se você sofreu e ainda sofre com isso até hoje, deve saber bem do que estamos falando.
Talvez tenha passado a vida toda tentando agradar a seus pais, mas não conseguiu nada além de sofrimento.
Estamos aqui para alertar: fuja disso!
Se já fez tudo o que pôde, saiba que não tem compromisso com seu passado, mas com seu futuro.
Pense na sua saúde emocional e até na física.
Pais violentos e tóxicos precisam ser evitados.
Mas como?
Separamos algumas dicas de sobrevivência:
1. Mostre firmeza
Enquanto todo mundo apronta e você se comporta como se estivesse tudo bem, nada vai mudar.
Se for necessário, enfrente.
Pergunte o motivo que leva aquelas pessoas a se comportarem daquele jeito com você.
2. Desapegue-se
Sabemos o quanto é fácil falar e difícil colocar em prática.
Mas se esforce para não se prender a sentimentos ruins.
O ódio e o rancor nos destroem por dentro.
Sentimentos ruins podem assumir o controle, então cuidado!
3. Não absorva
Como já dissemos, não importa quantas vezes você tente, mas pais tóxicos nunca aceitam nem reconhecem o esforço.
Mesmo que digam palavras horríveis, procure não absorver.
Ignore.
Isso fará bem à sua saúde emocional.

4. Saia com pessoas positivas
Reconstrua sua confiança passando tempo com pessoas positivas.
Se um membro da família é incrivelmente tóxico e trata você mal, procure amizades que edifiquem sua vida.
Todos nós precisamos de pessoas positivas por perto!
5. Descubra o seu ponto fraco
Descobrir o ponto fraco ajuda a encarar o problema.
Todo mundo tem um.
Ao detectar o seu, proteja-o com unhas e dentes.
Escreva sua história com segurança e muita alegria.
Não deixe que outros estraguem isso, mesmo que vocês os ame.

fonte: curapelanatureza.com.br